quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

FUI OBESO – Segundo Capitulo

Sábado dia 15 de outubro de 2011

Ultimo almoço de família antes da cirurgia. Lulu (minha mãe) preparou Nhoque de batata ao molho vermelho, carne, arroz e muito refrigerante (meus pratos prediletos). E sabado e meus amigos prepararam uma festa de despedida pra mim intitulada “VELORIO”...hauauhauahuhauahauhua Eles me amam. Eu que inventei o nome. Muita bebida, churrasco e grandes amigos do teatro comigo.
Fiz ate uma carta-testamento, mas infelizmente ela se perdeu qdo me jogaram dentro da piscina... Foi divertido. Me senti Free Willy naquela cena clássica que ele salta por cima do garoto...

 A Festa foi ótima e durou ate domingo a tarde. Não agüentava mais, bebi o rio amazonas inteiro de vodka com cerveja e chope.

Segunda-feira dia 17 de outubro de 2011

Acordei meio ansioso. Faltam apenas 3 dias. Fui no posto BR e comprei 3 salgados (tamanho gigante)...Meu Deus! Ta um absurdo o preço do salgado. Ainda bem que sempre fui um gordo que sustentei as minhas gordices com meu próprio dinheiro...
A noite fui ao Centro. Pedi proteção e boas vibrações para que a cirurgia fosse um sucesso, depois fui pra casa e fiz aquilo que andei fazendo nos últimos 3 meses... Assistir no youtube o antes e depois de balofinhos que fizeram a cirurgia. Eu sei, meio constrangedor...Para os balofinhos que ao invés de começar vida nova fazem questão de demonstrar o qto eles eram tristes antes da cirurgia ( detalhe: eu tbm já fiz isso depois de operado...uhauahua) Ennnnnnnnnnnnnnnnnnnntao, era meu passatempo predileto.
  
Terça-feira dia 18 de outubro de 2011

Comi igual um desvairado! Comi o mundo. De noite devorei a minha milionésima pizza do ano e provavelmente a ultima, já que na quarta feira começo a dieta do pré operatório.Que delicia que tava. Se Deus existe, foi o diabo que inventou a pizza! Alias não so a pizza, ele provavelmente inventou o rodízio na face da terra tbm. Se fizerem as numerologia da palavra RODIZIO provavelmente vai dar o numero da besta = 666.

Quarta-feira dia 20 de outubro de 2011

Que medo! Lulu (minha mãe) Mandou fazer 3 shorts para eu usar no hospital...Sim, mandou fazer ( Não achava mais shorts confortáveis do meu tamanho). O Problema e que a minha mãe tem um gosto pra moda um tanto quanto carnavalesco. Ou seja: muita estammmmmmmmmmpa, muito xadrezzzzzzzz, muita figuraaaaaaaa.
 Resultado: Entrei no hospital  vestido de CAMEM MIRANDA.Ainda bem que sempre tive personalidade forte e consegui intervir nas estampas dos shorts.
Minha ultima noite de gordo em casa. Não agüentei fui comer um lanche. Fiz uma gordice, não queria que ngm me visse comendo, então peguei o lanche o refrigerante e comi dentro do carro, num lugar deserto... Voltei pra casa com cara de fome ainda. Não sei se fiz isso pelo prazer de comer ou pelo prazer de enganar a minha mãe...hauhauhauhauahuahuahua Hj e ate engraçado lembrar disso..

Quinta-feira dia 21 de outubro de 2011

Internação marcada para as cinco horas da tarde.
Pela manha, passei no Anglo, onde trabalho. Acertei alguns detalhes do sarau que eu organizo sempre no mês de novembro, esse ano tive que adaptar um pouco o evento para dar conta de trabalhar quando eu voltar da cirurgia.
Partimos para Rio Preto logo depois do almoço. Minha ultima refeição como balofinho.
-2 colheres de arroz
-Feijão
-Salada ( eca, comida de cavalo)
-Omelete
Chegamos em Rio Preto e passamos primeiro na orcamentista ( sim a Hilda, famosa) para acertar o valor da cirurgia. Como e caro ser magro ne?! Terminado o acerto e hora de partir para o Hospital de Base. De cara tive que assinar um termo de interncao hospitalar caso eu vir a morrer de infecção hospitalar, o que me deixou muiiiiiiiiiiiito tranqüilo...Pensei comigo “ Que bom que o hospital ao invés de se precaver contra qualquer tipo de infecacao ele pensa adiante ele já pensa em se precaver contra qualquer tipo de processo que eu possa mover contra ele caso eu morra” ( se vc não entendeu a minha linha de raciocínio azar o seu, pq eu ate hoje to tentando entender o termo que eu assinei no hospital).
Subimos para o quarto, Lulu não poderia passar a noite comigo. A cirurgia seria no outro dia de manha e nenhuma enfermeira sabia ao certo que horas eles iam me buscar para o centro cirúrgico. Pra ajudar, teria que dividir o quarto naquela noite com um cara que havia acabado de fazer uma cirurgia no “saco escrotal”, eu não sei que merda era aquela, so sei que o saco do cara parecia uma bola de basquete de tão inchado. Pra ajudar no meio da noite o saco do cara estourou, foi pus pra tudo que e lado e em segundos o quarto foi tomado por um batalhão de enfermeiras, todas preocupadas com o saco do infeliz..... hauhauahuhauhauhauahu estou rindo de verdade. Num canto do quarto o cara urrando de dor e eu no outro “fazendo a samambaia”, quetinho no meu canto...Levaram o pobre dali e eu enfim pude curtir minha ultima noite de balofinho em paz.
  
Sexta-feira 22 de outubro de 2011.

Acordei cinco e meia da manha, depois de uma noite turbulenta.
Que vontade de chorar que me deu. Mas não ia ficar bem eu chorando sozinho ali ne? Há qualquer momento o enfermeiro iria chegar.
Sete horas da manha, Lulu chega. Eu estava parindo um hipopótamo baby já, de tanta ansiedade. Tava com o celular na mão pra ligar pro medico: “Ou você vem logo aqui, retalhar meu estomago ou  vou pedir uma pizza no habib’s agora”. E minha mãe, tão aflita quanto eu, tentava me acalmar... Coitada.
Oito e quinze os enfermeiros invadem o quarto com uma maca gigante e um sorriso insuportável...
- Bom Diaaaaaaaaa. O SENHOR e o Rafael???
Deu vontade de responder: “ Não sou a Carlota Joaquina, me leva pra Portugal agora”
Mas respondi: - Em carne, osso e banha. Vamos?
Eles riram e mandaram eu tomar um banho com um liquido estranho, que logo depois descobri ser IODO. Me senti um sushi tomando banho com shoyo. Coloquei um roupão cirúrgico azul turquesa, uma touca e sai do banheiro pronto pra ser abatido. Deitei na maca e fomos em direção ao centro cirúrgico.
Não sei por que pensei que iam me dar algo para dormir antes ( tipo uma pré anestesia) mas não, me obrigaram a descer da maca e subir na mesa de cirurgia (super agradável e confortável)
AHHHHHHHHHHHHHHHHH E NÃO POSSO ESQUECER.
Novamente me obrigaram a assinar outro termo. Termo de responsabilidade em caso de falecimento... Pensei: “FUDEO...Fudeoooooooooooooooo. Fudeeeeeeoooooooooooo”
Como dizem por ai, “ta no inferno abraça o Capeta”. Eu abracei, dei bejinho, pedi telefone e chamei de meu amor... Pensei, “já to aqui mesmo”
Assinei o bagulho e falei:
- Enfermeira chama o medico. Vamo retalha essa porra logo. Sou praticamente culpado pela fome na África de tanto que eu já comi nesses 25 anos.
Eissssssssssssssss que entram na sala um casal de anestesistas que provavelmente eram namorados, pois entram brigando, sem se importar com o balofinho (eu) que estava deitado naquela mesa fria. Tive que fazer ate um “ Bom dia casal, to aqui. Esse momento e meu, deixa a D.R. pra depois ok”... sequer me ouviram. Climao... Logo entraram as enfermeiras responsáveis e eles foram obrigados a terminar a discussao.
Depois que os anestesistas se acalmaram resolveram entrar em contato comigo. Foram amáveis e tentaram me tranqüilizar ( e eu pensando: “Qual o problema desses dois”)
Perguntaram meu nome (hauhauahuaha)
            A minha idade (huahauhauah)
Peso (rararara...fuck)
E avisaram que eles iriam aplicar um relaxante muscular que iria me adormecer levemente. A entrevista continuou... Perguntaram como eu me imaginava após a cirurgia. Eu respondi: “ Ah! Eu ainda não consigo me imagin...” Apaguei. Não me lembro de mais nada, nem da besteira que respondi. Queria que vendessem esse relaxante muscular no supermercado, iria comprar caixas e caixas.

            A segunda parte da cirurgia eu conto no Terceiro capitulo. Não percam!

2 comentários:

  1. me mata de rir...deu vontade de voltar no tempo só pra ir com vc !

    ResponderExcluir
  2. Não tive a mesma vontade.

    ResponderExcluir